top of page
  • Letícia do Vale

Movimento Marcha Mundial das Mulheres se posiciona contra Bolsonaro

Mulheres se reúnem neste sábado, 29, na Praia de Iracema, em luta contra o fascismo

O movimento Marcha Mundial das Mulheres publicou ontem, 26, material de completo repúdio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e à ultradireita brasileira. De acordo com o panfleto divulgado, o cenário político atual, protagonizado por essas autoridades e caracterizado por medidas neoliberais e autoritárias, precariza os direitos das minorias sociais e perpetua um sistema opressor. O texto clama, ainda, pela atuação das mulheres e demais grupos marginalizados na linha de frente da luta contra o fascismo, pregando uma defesa conjunta em prol da justiça social, igualdade e liberdade.

Utilizando a candidatura de Jair Bolsonaro e de seu vice, General Mourão, como principal representação da ultradireita fascista, o manifesto destaca o impeachment de Dilma Rousseff, em 2016, como um dos principais marcos do início da derrocada dos direitos sociais. O assassinato ainda não solucionado da vereadora do Rio de Janeiro pelo PSol Marielle Franco, o aumento da taxa nacional de feminicídio e a aprovação da chamada PEC do “Teto de Gastos” (PEC 95/2016) são citados como motivos para motivar o povo e levá-lo à luta.

Seguindo a linha de pensamento de que o deputado do PSL defende um governo liderado pelo ódio e pela manutenção de privilégios, o grupo Mulheres Unidas Contra Bolsonaro organiza ato neste sábado, 29, ao redor de todo o Brasil. Em Fortaleza, a manifestação ocorre na Praia de Iracema. O grupo, que começou no Facebook, já conta com milhões de membros.

A Liga Experimental de Comunicação repudia qualquer tipo de ação ou discurso baseados no ódio e acredita em uma sociedade justa e igualitária. Pensando nisso, juntamente ao Diretório Acadêmico dos cursos de comunicação social da Universidade Federal do Ceará, irá construir uma cobertura em tempo real do ato realizado em Fortaleza. No Portal da Liga você confere as principais informações e entrevistas sobre o evento. Não deixe de conhecer as mulheres que estão lutando pela democracia brasileira.

Ato em Fortaleza / Foto: Caroliny Braga

Marcha Mundial das Mulheres

Movimento feminista internacional iniciado nos anos 2000. Presente em 70 países de todo o mundo, só no Brasil o grupo se organiza em 20 estados. A ideia surgiu em uma campanha mundial realizada para combater a pobreza e a violência contra as mulheres. Hoje, a Marcha Mundial das Mulheres prega valores conta o capitalismo, o racismo e o patriarcado.

bottom of page